Homenagem

Ideias e inquietações do professor Arboleda seguem na infinitude

camilo

Juan Camilo participava a partir da Colômbia dos estudos sobre a compreensão como método.

Por Cilene Victor[1]
Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp)

O grupo de pesquisa “Da compreensão como método”, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo, lamenta profundamente a morte do Prof. Juan Camilo Arboleda Alzate, da Universidade de Antioquia. Nosso último encontro com Arboleda foi no Brasil, em dezembro de 2017, durante o III Seminário Brasil-Colômbia de Estudos e Práticas da Compreensão.

Juan Camilo, como o chamávamos, apresentou durante o evento trabalho com o título “La instrumentalización de los medios digitales: experiencia de formación/ aprendizaje en periodismo en escenarios convergentes”, que se encontra disponível em: <https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2017/11/ebook-livro2.pdf>. Resultado de uma ampla pesquisa nacional desenvolvida na Colômbia, com o mais pleno envolvimento do Prof. Arboleda, o trabalho tratou de buscar respostas para a seguinte pergunta: como superar relações eminentemente funcionalistas no estudo e uso das novas tecnologias de informação e comunicação (TICs), para perceber a urgência de uma postura dialógica e compreensiva no trato com a cultura emergente?

Em The Sheltering Sky(O Céu que nos Protege), de Bernardo Bertolucci, baseado na obra homônima de Paul Bowles, há uma passagem sobre a finitude da vida que nos ajuda a olhar para a partida de Arboleda como um momento que marca o diálogo compreensivo entre a finitude da vida e a infinitude das ideias. “Quantas vezes vai se lembrar de uma tarde na infância, uma tarde que faz parte de você tanto que não imagina sua vida sem ela? Mais quatro ou cinco vezes. Talvez nem isso. Mais quantas vezes vai ver a lua cheia? Umas vinte, talvez. Ainda sim, tudo parece infinito”.

Foi assim nosso último encontro com Arboleda, quando a finitude de sua vida deu lugar à imortalidade de suas ideias, pensamentos e inquietações.

Cada vez que citarmos seu nome em nossas reuniões do grupo de pesquisa, em nossos livros, revistas e artigos, falaremos baixinho para Paul Bowles que estávamos certos, nosso último encontro com Arboleda foi infinito.

Juan Camilo Arboleda Alzate, de 38 anos, era jornalista e professor da Faculdade de Comunicações da Universidade de Antioquia (Medellín, Colômbia). Faleceu repentinamente em 16 setembro, vítima de uma parada cardíaca ao final da Maratona de Medellín. Nossos sentimentos aos familiares, estudantes, professores e amigos de Juan Camilo!

 

[1]A Profa. Cilene Víctor é pesquisadora associada ao projeto de pesquisa “Fundamentos teóricos e epistemológicos da compreensão como método”, que é vinculado ao grupo de pesquisa “Da compreensão como método”.

image_preview

Dominique Wolton conversa com grupo de pesquisa “Da compreensão como método” e com a Cátedra Unesco-Metodista

Entrevista
Banca Mestrado - Tayane

Olhar além-fronteiras

Pesquisas