Pesquisas

Olhar além-fronteiras

Banca Mestrado - Tayane
Método da compreensão inspira projeto de Doutorado sobre a obra do jornalista espanhol Bru Rovira

Por Dimas Kunsch
Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp)

As proposições do grupo de pesquisa “Da compreensão como método”, uma associação entre a Universidade Metodista de São Paulo e a Universidade de Antioquia, uma das mais importantes da América Latina, com sede na cidade colombiana de Medellín, fundamentam um novo projeto de pesquisa, no âmbito do Doutorado em Comunicação da Unesp, em Bauru, que começa a ser desenvolvido neste segundo semestre de 2018, com o financiamento de uma bolsa de estudos de três anos pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Fruto de uma parceria de longa data entre Tayane Abib e Mauro de Souza Ventura, seu orientador, a investigação é uma continuidade e um aprofundamento da dissertação de Mestrado, também vinculada à compreensão como método, defendida na mesma instituição, em outubro de 2017.

Os estudos buscam construir uma matriz teórica e interpretativa sobre o conceito de Desacontecimento, na contramão da noticiabilidade difundida pelos meios tradicionais de comunicação. A possibilidade de narrar “fatos não-marcados”, nas palavras do jornalista e sociólogo brasileiro Muniz Sodré, em seu livro A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento (2009), desperta o jornalismo para o valor das histórias de vida, a partir do registro do cotidiano de homens e mulheres comuns.

Em seu projeto de Mestrado, Tayane Abib procurou evidenciar a proposta do Desacontecimento nas reportagens e colunas da jornalista brasileira Eliane Brum, articulista do El País¸ identificando a conciliação de dispositivos narrativos a sustentar esse escopo noticioso: a compreensão intersubjetiva, a complexidade na abordagem de contextos socioculturais e a ternura no encontro com o Outro – essas também marcas da epistemologia complexo-compreensiva, que busca inspiração em propostas teóricas como as do sociólogo francês Edgar Morin e da jornalista e professora brasileira Cremilda Medina, autora de um vasto repertório na linha do que ela chama de Signo da Relação.

No Doutorado, Tayane Abib põe em diálogo essa teoria do desacontecimento, inicialmente alicerçada na prática jornalística de Eliane Brum, com a obra do periodista espanhol Bru Rovira, colunista do portal Ara (diário catalão fundado em 2010) e repórter consagrado na cobertura de pautas sociais e conflitos internacionais, durante atuação de mais de 25 anos no jornal La Vanguardia. Empreendendo um olhar além-fronteiras, o projeto irá se dedicar aos livros Solo pido un poco de belleza (2016), que reporta o convívio de um grupo de alcoólatras na Ciutat Vella, de Barcelona, “el bando de los poetas”, e Áfricas: cosas que pasan no tan lejos (2006), que relata a condição humanitária do continente a partir de histórias de vida no Sudão do Sul, Somália, Libéria e Ruanda.

 

Na foto: o Prof. Dimas Künsch (Umesp), no vídeo à direita, participou com os professores Mauro Ventura (Unesp) e Angela Grossi (Unesp), à esquerda, da banca de Mestrado de Tayane Abib, cuja pesquisa articula a ideia de Desacontecimento à epistemologia complexo-compreensiva.

camilo

Ideias e inquietações do professor Arboleda seguem na infinitude

Homenagem
Foto: SECOM/SECULT PA

A Colômbia e a Compreensão vão até Belém do Pará 

Eventos Livros